Estamos vendo o nascer do conceito, e da Indústria 4.0 e ainda, não temos idéia do real impacto que esta nova revolução industrial trará para os Países, economias e sociedades. – Por Thiago Redona

Existe um momento no ciclo de vida de uma empresa no qual a mesma terá de se adaptar para não perder relevância; ou deixará de existir, pois será tragada por novas ondas tecnológicas, econômicas e até sociais. Podemos citar vários exemplos, como a Kodak que não apostou na tecnologia de câmeras digitais e perdeu o boom da fotografia digital e redes sociais. Por mais dramática que esta afirmação seja, qualquer evento que existir, seja este endógeno ou exógeno, trará significantes mudanças para uma empresa; e qualquer evento deste tipo levará a empresa a um “ponto de inflexão”.
O conceito de “ponto de inflexão” foi originalmente formatado pelo CEO da Intel Endrew Grove, que o descreveu como “um evento que muda a maneira como agimos e pensamos”; e estamos diante do ponto de inflexão em diversas empresas, que irão abraçar as mudanças de pensamento e atitudes trazidas pela Indústria 4.0, ou poderão ter seus dias contados.
É claro que as possibilidades e a abrangência da Indústria 4.0 nem são totalmente conhecidas, ou foram ainda exploradas, mas é notório que as melhorias de processos, a tecnologia embarcada no suporte a processos via software e os controles de performance “in process” trarão mudanças profundas nas empresas e na maneira como gerimos estas.

Diante disso, cabe a esta nossa geração nos prepararmos para o que a Indústria 4.0 poderá trazer de inovação e o(s) consequente(s) ponto(s) de inflexão nas empresas. Este blog, afirmo eu, tem este importante propósito. Por isso de sua importância em nosso mercado.

Por: Thiago Redona
0 respostas

Comentar

Sinta-se a vontade para contribuir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *