Economia brasileira pode crescer até 5% em 2018, prevê Mark Mobius

milldesk-aumento-da-produtividade-2

O guru dos mercados emergentes, Mark Mobius, chairman do Templeton Emerging Markets Group, acredita ser possível a economia brasileira apresentar uma taxa de crescimento de até 5% em 2018. “O país vai sair de uma base de comparação muito baixa”, ressaltou o especialista, que admitiu se tratar de uma de suas estimativas mais ousadas. O nível de confiança no país ainda é muito baixo, e quando esse cenário for alterado de uma maneira sólida, a retomada pode ser muito forte, prevê Mobius, que está em visita ao Brasil e conversou nesta segunda-feira, 20 de fevereiro, com jornalistas. A estimativa destoa bastante do que aponta o boletim Focus – os economistas ouvidos para o relatório do Banco Central (BC) projetam um avanço de 2,3% da economia brasileira no próximo ano.

Os dois últimos grandes movimentos de mercado realizados pela divisão focada em mercados emergentes da Franklin Templeton foram aumentar em cerca de 15% a 20% sua exposição ao Brasil e ao México. Esse aumento, explica o chairman, decorreu da queda acumulada pelo mercado brasileiro, e também devido às perspectivas de implementação da agenda de reformas que está em curso pelo atual governo. “Sabemos das reformas que estão programadas para acontecer, e o mercado costuma antecipar esses movimentos. Haverá correções ao longo do caminho, mas a direção é muito clara”.

Mobius disse ainda que o investidor que acredita na recuperação da atividade econômica do país precisa ter uma posição no setor bancário – Itaú e Bradesco são os papéis preferidos do gestor. O Templeton Emerging Markets Group tem atualmente US$ 27 bilhões em ativos sob gestão, sendo 2/3 desse volume alocado na Ásia. Na América Latina os recursos alocados são de US$ 2 bilhões, com US$ 1,2 bilhão no Brasil.

Leia a entrevista completa na edição nº 290, de março, da revista Investidor Institucional

Fonte: https://www.investidorinstitucional.com.br

0 respostas

Comentar

Sinta-se a vontade para contribuir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *