Conheça três indústrias que estão sendo transformadas pela manufatura avançada!

* Por Grayson Brulte, cofundador e presidente da Brulte & Company, consultoria de inovação que desenha estratégias de inovação e tecnologia para um mercado global.

Dos veículos elétricos aos foguetes no espaço, uma variedade de indústrias já está se beneficiando da manufatura avançada – tecnologias e processos inovadores que prometem transformar praticamente todos os setores. 
Imagine um mundo cheio de máquinas fabricando sob demanda o que quisermos, e robôs atendendo a todas as necessidades dos operários. Bem-vindo ao futuro da manufatura avançada – um híbrido de tecnologias e processos que fabrica bens usando tecnologias avançadas. Hoje, a manufatura avançada responde por 13% dos empregos nos Estados Unidos e contribui com US$ 3,1 trilhões para a economia. Conforme as máquinas ficam mais inteligentes, graças a sensores conectados à Internet Industrial, eficiências serão criadas e o impacto econômico só aumentará. As técnicas de manufatura avançada, combinadas à análise de big data, permitirão que companhias tomem decisões inteligentes baseadas em dados obtidos em tempo real. Esses dados acionáveis levarão a prazos de entrega menores e a custos mais baixos. 
Eis aqui três indústrias que estão entre as maiores beneficiárias da manufatura avançada: 
1. Veículos elétricos
Quando a sociedade muda, os hábitos de consumo também mudam. No ano passado, vimos uma demanda sem precedentes por carros elétricos – as vendas cresceram 60% no mundo, segundo a Bloomberg New Energy Finance. Com a corrida pelo carro elétrico de menos de US$ 30 mil se acirrando, a Tesla usa robôs de manufatura avançada em sua fábrica de Fremont para atender à demanda. 
Os robôs da Tesla estão desonerando os funcionários das operações mais trabalhosas na fábrica e reduzindo o tempo de instalação pela metade. Ao liberar os trabalhadores para se concentrarem nos aspectos mais importantes da montagem de um veículo, a Tesla está criando uma mão de obra mais inteligente e enxuta. 
Até 2040, estima-se que 35% dos carros novos vendidos no mundo inteiro terão uma tomada, e carros elétricos de longo alcance custarão a partir de US$ 22 mil. Para acompanharem a demanda projetada, os fabricantes de automóveis terão de aderir abertamente à união entre software e hardware da manufatura avançada. 
2. Robótica
Os robôs podem ainda não fazer parte de nossa rotina, mas logo farão parte da mão de obra comum. As vendas mundiais de robôs industriais cresceram 8% no ano passado, segundo a Federação Internacional de Robótica, ultrapassando pela primeira vez a marca de 240 mil unidades vendidas. 
Com o aumento nas vendas de robôs industriais, o Boston Consulting Group prevê que uma “revolução robótica” está prestes a transformar muitos setores – substituindo o trabalho manual por máquinas em larga escala. 
No setor de óleo e gás, a Sky Futures está usando drones não tripulados para transformar a maneira como as plataformas petrolíferas, tanto offshorecomo onshore, são inspecionadas. Ao usar drones não tripulados no lugar de trabalho manual, as companhias petrolíferas conseguirão melhorar a produtividade e a eficiência da mão de obra. 
O mesmo vale para automação de tarefas triviais, como carga e descarga de materiais em caminhões, permitindo que a mão de obra fique mais produtiva. 
Um exemplo é o carro autônomo OTTO, que pode mover mercadorias e serviços de ponta a ponta em um ambiente industrial. Ao combinarem a robótica, como o OTTO, com uma mão de obra que tenha habilidades em manufatura avançada, empresas industriais podem se beneficiar de uma eficiência maior. 
3. Setor aeroespacial
O setor aeroespacial e de defesa está prestes a retomar o crescimento, após vários anos de queda, de acordo com a Deloitte. 
Com a retomada do crescimento do setor, companhias aeroespaciais estarão mais abertas à experimentação com tecnologias emergentes, tais como a nanotecnologia. 
A Boeing usou nanotecnologia quando desenvolveu o 787 Dreamliner para reduzir o peso total da aeronave, resultando na possibilidade de tempos mais longos de voo e em custos operacionais menores. 
A Nasa pesquisa a nanotecnologia no NASA Ames Research Center, explorando o potencial da tecnologia para “revolucionar vários aspectos da exploração espacial”. 
A nanotecnologia combinada à manufatura avançada melhoraria drasticamente o processo de design, criação e operação de aeronaves graças a eficiências melhoradas. 
Estes são apenas alguns exemplos de indústrias que já estão se beneficiando da manufatura avançada. Mas quase qualquer indústria do mundo pode aproveitar as tecnologias e os sistemas avançados, que têm o potencial de tornar a mão de obra global mais inteligente e mais eficiente. 
0 respostas

Comentar

Sinta-se a vontade para contribuir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *