Primeira cidade inteligente do Brasil será inaugurada ainda este ano

Cidade-inteligente-brasil-696x391

Ainda este ano, o Brasil dará um importante passo no cenário tecnológico e ambiental, pois será inaugurado a primeira cidade inteligente do país em Croatá, cidade localizada no interior do Ceará. Denominada Smart City Laguna, o complexo será construído dentro dos padrões do programa governamental “Minha Casa, Minha Vida” e abrigará até 25 mil habitantes.

 A responsável pelo projeto é a Planet,  empresa italiana que inovou criando o conceito de Smart City Social e que desenvolve soluções tecnológicas para o crescimento econômico sustentável das cidades inteligentes.

De acordo com os responsáveis pela cidade inteligente no Brasil, a ideia é que a Smart City Laguna seja apresentada como um modelo referencial para novas cidades, inteiramente preparada para atender às necessidades do seu morador – com áreas de lazer, comércio e serviços públicos.

Ainda de acordo com os seus administradores, a Smart City Laguna deve ser reconhecida por sua estrutura projetada com tecnologia de ponta. Isto significa dizer que transporte público, áreas de entretenimento, geração de energia, qualidade do ar e até empregabilidade já estão sendo pensadas para serem o mais tecnologicamente possível.

Com o projeto, será o fim das habitações construídas em séries, a viabilidade será estratégica, os corredores mais verdes para que o meio ambiente seja preservado, terá ciclovias em toda cidade e área para pedestres. Além disso, a medida que os lotes sejam ocupados, será adotado os sistemas de tratamento de águas residuais, aproveitamento de águas pluviais, serviço de mobilidade, coleta inteligente de resíduos, energia solar, monitoramento da qualidade do ar e da água, infraestrutura digital com Wi-fi grátis nas áreas institucionais da cidade, redes inteligentes de eletricidades e água, câmeras e sensores, totens interativo e iluminação pública inteligente. Já na questão alimentícia, a cidade será composta por hortas compartilhadas.

O Projeto conta com parceiros no ramo de energia e tecnologia, como a Enel, a TIM, a Tyco, a Arup, a Clevergy, a Dellavale e a Urmet, que oferecerão aos moradores recursos fundamentais como segurança, energia e inclusão social, assim como o Planet App, que funcionará como painel de controle da Smart City. Através do App, os habitantes poderão ter em seu smartphone todas as informações básicas da cidade, além do acesso aos serviços disponíveis.

Croatá está localizada em São Gonçalo do Amarante (CE), a apenas 55 quilômetros de Fortaleza, ao longo da BR-222, importante via comercial e industrial do estado do Ceará. A estratégica localização da primeira Smart City Social do mundo visa o benefício do alto potencial de valorização e desenvolvimento econômico da região, e o Cinturão Digital, base de sua plataforma tecnológica, que proporcionará acesso à internet com maior facilidade e qualidade. Segundo os criadores, a cidade se baseia em quatro pilares: Pessoas(Inclusão Social), Arquitetura e Urbanismo, Tecnologia e Meio Ambiente.

Inicialmente o empreendimento contará com 200 casas. De acordo com a Planet Smart City,  o valor dos lotes residenciais será a partir de R$21,000 reais.

Seria essa, a cidade dos sonhos?

 

Fonte: http://engenhariae.com.br

Inovacao-o-motor-de-crescimento-da-produtividade – reitor ITA

ITA

O reitor do Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA), Carlos Américo Pacheco, conta neste vídeo como a inovação pode ser uma peça-chave na melhoria da produtividade das empresas, e consequentemente no seu crescimento, e aponta o cenário brasileiro em políticas públicas relacionadas a inovação.

https://endeavor.org.br/inovacao-o-motor-de-crescimento-da-produtividade/

 

Cuidado com quem contrata para executar suas calibrações! Você pode ter que responder legalmente, sem saber!

pirataria-software-programa-computador

Quem é responsabilizado caso haja uma fiscalização em uma empresa e descubra que a calibração fora realizada com softwares piratas? A empresa em si ou a área de TI, como o gerente, o analista, administrador de rede?

R = A empresa. Mesmo tendo área específica de técnicos, a empresa tem responsabilidade em fiscalizar e escolher (in vigilandum e in eligendum) seus empregados, assumindo o total risco do negócio.

Quando alguém ou alguma empresa lhe oferecer serviços de calibração de equipamentos, os quais necessitarão de correções geométricas, tais correções necessitarão de um software para correção do mapa da máquina. Existem empresas oferecendo tais serviços, se utilizando de copias não autorizadas tais softwares.

Cuidado, isto é crime! Caso lhe ofereçam tais serviços, liguem imediatamente para o fabricante da máquina em questão, e verifique se a prestadora de serviços possui mesmo o software licenciado (que na maioria dos casos não existe tal possibilidade).

Sabe aquele velho chavão que diz: O barato sai caro?

Isto vem se tornando uma constante, os fabricantes vem se deparando diariamente com máquinas paradas, que foram “entregues” a profissionais totalmente desqualificados, as quais na maioria das vezes,  sequer possuem uma sede física, são somente empresas virtuais, oferecendo serviços supostamente homologados por fabricantes, com selos de qualidade INMETRO – RBC, sem que os fabricantes se quer os conheçam. De tal forma, que obviamente seus preços são muitas vezes 40..50% abaixo dos fabricantes. Como podem fazer um serviço de excelência?

No caso específico de máquina e equipamento de alta precisão, a calibração deveria ser encarada com a maior seriedade, assim como a manutenção preventiva, porém o que temos visto em muitos casos, é exatamente ao contrário, assim que termina o prazo de garantia, algumas empresas acabam priorizando apenas o preço, esquecendo que estão colocando em risco, não só seu patrimônio, no caso os próprios equipamentos e máquinas, como em muitos casos seu nome, produto e qualidade, e o que  mais chama a atenção nas organizações, é o fato de gastarem uma verdadeira fortuna na aquisição das máquinas e equipamentos, e depois economizarem o máximo em manutenções e calibrações.

Portanto seguem algumas dicas importantes para “não comprarem gato por lebre”:

  • Sempre que possível faça o pacote de serviços com o respectivo fabricante da máquina em questão. Negocie preços, mas lembre-se, você investiu muito para ter aquela máquina/equipamento, será que agora vale economizar alguns reais, os quais dividindo por 12 meses, acabam sendo quase que imperceptíveis.
  • Faça manutenções Preventivas ou Preditivas, depois passe a medir o ROI (retorno do investimento), você ficará surpreso.
  • Não de os famosos jeitinhos, coloque peças genuínas, negocie com o fabricante.

Mas, se mesmo assim, você não se convenceu e ainda quer tentar colocar seu equipamento nas mãos de terceiros, siga os seguintes passos:

  • Faça uma visita de auditoria técnica nas instalações da empresa
  • Solicite um balanço patrimonial (se a mesma danificar seu equipamento permanentemente, terá condições de pagá-lo?)
  • Exija certificados de treinamentos efetuados em fabricantes (e ligue para os fabricantes verificando a autenticidade dos mesmos)
  • Se a empresa ofertar serviços com selos RBC ou outros, exija uma cópia da certificação.
  • Certificado e procedência dos padrões e softwares que serão utilizados. Em caso de correção geométrica por exemplo, a empresa possui o software para corrigir o mapeamento da máquina? Se sim, exija a NF de compra do mesmo, pois em caso de pirataria, você é corresponsável e a lei é muito dura neste sentido.
  • Se após todos estes passos, a empresa em questão for aprovada, faça um contrato com cláusulas de multas severas em caso de descumprimento, pirataria, danos ocasionados a máquina /equipamento, etc.

Se a mesma atender a todos estes requisitos, creio que estará protegido, caso contrário, pague um pouco a mais e faça com quem realmente esteja apto a mexer em seu equipamento